Faculdade Patos de Minas - FPM

Vereadores da CPI que investiga a atuação da Copasa ouvem morador do distrito de Chumbo/Areado

Sobre o esgoto, Marcos disse que existe tratamento de esgoto feito pela Copasa no Distrito, informando que há quatro estações de tratamento que recebem o esgoto

por Weslley Raphael
14/09/2021 - 18h24

Vereadores da CPI que investiga a atuação da Copasa ouvem morador do distrito de Chumbo/Areado

Os membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara Municipal de Patos de Minas, que apura a atuação da Copasa no Município, ouviram, na tarde desta terça-feira (14/9), o 19º depoente dos trabalhos, o morador do Distrito de Chumbo/Areado, Marcos Antônio da Mata. A intenção dos parlamentares é também dar voz aos moradores das localidades rurais, para entender a real situação vivida pelos habitantes dos distritos.

Marcos Antônio da Mata reside em Areado desde 1989 e é professor e tesoureiro da Escola Estadual Arlindo Porto, membro do Conselho de Desenvolvimento Comunitário - CDC e presidente da Conferência São Vicente de Paulo. Em seu depoimento, Marcos manifestou aos parlamentares que a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) presta um bom serviço na comunidade.

O depoente afirmou que existe tratamento de água feito pela Copasa no Distrito de Chumbo/Areado e que a água fornecida pela empresa chega às residências em bom estado aparente, mas, por outro lado, declarou que não tem elementos para caracterizar a qualidade do tratamento da água.

De acordo com Marcos, a Copasa possui um reservatório de água no Distrito de 60 mil litros e o consumo médio da comunidade é de cerca de 90 mil litros de água por dia.
Com relação aos problemas no abastecimento de água declarados por moradores de outros distritos, Marcos afirmou que, no distrito de Chumbo/Areado, não há muitos episódios de falhas no abastecimento de água. "Quando ocorrem as falhas, são sanadas rapidamente", certificou.

Na oportunidade, o depoente contou que, quando chegou, em 1989, em Areado, a água era captada de forma simples e não era fornecida para toda a localidade, mas que, a partir de 1991, é que começou o tratamento de água na comunidade.

Com relação ao valor das faturas de água, o depoente de Areado/Chumbo disse que o impacto não é relevante. Sobre a média do valor pago pelas faturas de água, Marcos informou que a taxa mínima é no valor de R$ 24,00 a R$ 29,00 e que a média do valor pago é R$ 45,00. Já em sua residência, Marcos contou que "possui um consumo mais alto" e, por isso, paga em média R$ 55,00 a R$ 60,00 de água.

Sobre o esgoto, Marcos disse que existe tratamento de esgoto feito pela Copasa no Distrito, informando que há quatro estações de tratamento que recebem o esgoto. Segundo ele, o tratamento do esgoto é feito utilizando bactérias, mas o depoente afirmou "não saber dizer sobre a qualidade desse tratamento". Ao ser questionado pela CPI sobre onde a Copasa descarta o esgoto coletado em Areado/Chumbo, Marcos disse que o adubo resultante do tratamento é enterrado e que a parte líquida é tratada e lançada no rio.

Marcos afirmou, ainda, que o estado aparente dos cursos d'água onde são descartados o esgoto é bom e que não sabe de reclamações dos moradores quanto ao mau cheiro nos locais de descarte. Sobre a existência de fossas sépticas na localidade, o morador do distrito disse que provavelmente elas ainda existem, mas não soube precisar ao certo a quantidade. "Não sei quantas são, mas acredito que seja em pequeno número", declarou.

O depoente também manifestou que não tem conhecimento sobre fiscalizações da Prefeitura no local e que não tem notícias de obras vultosas realizadas pela Copasa desde 2008 para melhorar a estrutura e a prestação de serviço na localidade. Sobre possíveis danos nas vias públicas causados pela Copasa na resolução de problemas, Marcos relatou apenas uma obra em que o asfalto foi mal colocado pela empresa, porém, diante da reclamação da população, "o serviço foi refeito e ficou de boa qualidade".

Principais encaminhamentos e considerações

Os membros da CPI consideram que o depoimento de Marcos Antônio da Mata, morador do distrito de Chumbo/Areado, é divergente do que foi declarado por alguns moradores de outros distritos, que, em sua grande maioria, apontaram falhas quanto aos serviços prestados pela Copasa nas respectivas localidades. Dessa forma, a Comissão de Inquérito decidiu pela realização de uma visita ao distrito de Areado/Chumbo visando ratificar as informações prestadas por Marcos da Mata. Os vereadores da CPI também deliberam pela convocação do ambientalista citado pelo depoente, Nascimento dos Reis Araújo, conhecido como Xel, o qual será intimado para depor na próxima semana.

A gravação da 19ª oitiva da CPI da Câmara Municipal que investiga a Copasa está disponível nos canais oficiais da Casa Legislativa – Facebook, Youtube e site camarapatos.mg.gov.br.

A CPI é composta pela vereadora Elizabeth Maria Nascimento e Silva - Professora Beth (presidente); José Eustáquio de Faria Junior (relator); João Batista de Oliveira - João Marra; José Luiz Borges Júnior; e Mauri Sérgio Rodrigues - Mauri da JL.

Receba notícias diariamente através do WhatsApp (CLIQUE AQUI). Para ler mais notícias do Patos em Destaque, clique em NOTÍCIAS. Siga também o Patos em Destaque no TwitterInstagram e Facebook. Envie informações à redação do portal por e-mail: [email protected].

*Permitido compartilhamento e ou cópia desde preservada a fonte  (LEI Nº 9.610/98)

Fonte: : Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Patos de Minas.

OUTRAS NOTÍCIAS